Reposicionamento do Brasil no Cenário Internacional

O Brasil abriu o diálogo com diversos países, com foco na conclusão de acordos comerciais.

Recomende essa matéria pelo WhatsApp

O Brasil abriu o diálogo com diversos países, com foco na conclusão de acordos comerciais. Em um ano, houve visita a 10 países, incluindo duas vezes a China e três vezes a Argentina, dois dos três maiores parceiros comerciais do Brasil. O ministro Marcos Pereira representou o país nas reuniões do G-20 e dos BRICS.


Fórum Econômico Mundial
Participação no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, e nas versões latino-americanas na Colômbia e na Argentina, levando uma mensagem otimista sobre o Brasil em busca de atrair investimentos. Trouxe a edição 2018 do evento para São Paulo.


Negociações Internacionais
Conclusão de acordos com novos parceiros e a ampliação temática dos compromissos existentes. Além das negociações tradicionais sobre tarifas, houve avanço em temas como investimentos, serviços, compras governamentais, facilitação de comércio, convergência regulatória e barreiras não tarifárias. Como exemplos, já concluiu acordos de investimentos com catorze países, incluindo os principais destinos de internacionalização de nossas empresas. O Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), tem uma abordagem pioneira focada no conceito de facilitação do fluxo de capitais, mitigação de riscos e na prevenção das controvérsias.
O Brasil tem buscado maior aproximação com os países da Aliança do Pacífico e aprofundamento da agenda bilateral com os EUA a partir de acordos de convergência regulatória e facilitação de comércio.
Além disso, está empenhado nas negociações bilaterais com o México e retomou discussões com o Canadá sobre eventual acordo.
Juntamente com os parceiros do Mercosul, o Brasil está empenhado nas negociações com União Europeia e concluiu os Diálogos Exploratórios com EFTA (jan/2017) e com a Coréia (março/2017).